quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O patrimônio dos Presidentes Militares, vamos comparar...


OS GENERAIS PRESIDENTES... COMPARAÇÕES     (JORNALISTA CARLOS CHAGAS).


"Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos difíceis. Claro que no reverso da medalha foi promovida ampla modernização de nossas estruturas materiais. Fica para o historiador do futuro emitir a sentença para aqueles tempos bicudos."
Mas uma evidência salta aos olhos.

Quando Castelo Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas.
Costa e Silva, acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace  no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção, em Copacabana.
Garrastazu Médici, dispunha, como herança de família, de uma fazenda de gado em Bagé, mas quando adoeceu, precisou ser tratado no Hospital da Aeronáutica, no Galeão.
 Ernesto Geisel, antes de assumir a presidência da República, comprou o Sítio dos Cinamonos, em Teresópolis, que a filha  vendeu para poder manter-se no apartamento de três quartos e sala, no Rio.
 João Figueiredo, depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio  do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade.  Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado lamentável de conservação.
 Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter cometido erros, mas não se meteram em negócios, não enriqueceram nem receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos. Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para  consultorias e palestras regiamente remuneradas.
Bem diferente dos tempos atuais, não é? "

Por exemplo o Lulinha filho do Lula era até pouco tempo atrás funcionário do Butantã/SP, com um salário (já na peixada politica) de
R$ 1200,00 e hoje é MILIONÁRIO...
Centenas de outros politicos, também trilharam e trilham o mesmo caminho.
Se fosse aberto um processo generalizado de avaliação dos bens de todos politicos, garanto que 95% não passariam,
  


E viva a “comissão da verdade” !!!

9 comentários:

  1. Grande colega o jornalista Carlos Chagas, é a palavra de quem conhece porque é o decano dos jornalistas políticos em Brasília.
    Palavras irrepreensíveis.
    Antonio Claudio Soares Bonsegno
    advogado e jornalista
    Santos, SP

    ResponderExcluir
  2. VERGONHA NACIONAL... LEIAM, VEJAM OS VERDADEIROS LADRÕES DOS COFRES PÚBLICOS... TEM QUE INVESTIGAR E MANDAR PRA CADEIA... PENA, PENA!! QUE AQUI É BRASIL, E A IMPUNIDADE É A LEI MAIOR... ROUBAR DE UM POVO POBRE EM SITUAÇÃO DE COMPLETA MISÉRIA !! "VAGABUNDOS". DEMOCRACIA DEMAIS DA NISSO AÍ!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O patrimônio dos militares era muito bem distribuído entre seus herdeiros. Essas histórias romantizadas estão muito distantes do que, de fato, aconteceu. As verdades estão aparecendo aos poucos.
      http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20131026/hotel-luxo-general/5279.shtml
      http://www.arqanalagoa.ufscar.br/pdf/reserva/recortes2/r04347.pdf

      Excluir
    2. Um bom exemplo foi o ex presidente Medici por ser filhos homens adotou a neta como filha para que a mesma pudesse receber a pensão vitalícia de quase R$30.000,00 que por sinal recebe até hoje, o outro Figueiredo tinha um sitio de 35 mil metros quadrados com aras cinco belas casas, avaliado em maus de 10 milhões de reais, esses são só alguns exemplos da honestidade dos nossos militares.

      Excluir
  3. FALAR O QUE ??? ESSA CORJA DE LADRÔES TEM IR PARA O PAREDÃO DO APEDREJAMENTO.

    ResponderExcluir
  4. INTERVENÇAO MILITAR JÁ !!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. É a verdade sobre a honestidade dos chefes militares que governaram o Brasil durante o período da ditadura. Não tinham como pode ser visto e constatado a dinheirama que existe hoje no acervo patrimonial de muitos políticos. Neste ponto é preciso ponderar muito sobre a idoneidade moral e também da honestidade dos chefes militares que governaram o Brasil. No que tange ao ponto de vista honestidade e ética 100%, por outro lado, no que tange a habilidade política democrática no sentido de governar com mais inteligência dentro das normas de entendimento NOTA ZERO, quer dizer que o espírito da coisa era mesma a ditadura autoritária de extrema direita. O grande erro foi não ter adotado nenhum critério de governaça que acreditasse o espírito democrático. Quer dizer quem não fosse receptivo ao governo ditatorial era altomaticamente contra o governo e ao Brasil, ora todos não eram comunistas e existiam muitos democratas. Não houve critério seletivo.

    ResponderExcluir
  6. Ex presidente militares distribuíam bens entre seus familiares, nenhum deles foi santo, nenhum deles ficou acima de qualquer suspeita de corrupção foi nesta época os escândalos de corrupção dá transamazônica, hidrelétrica de Itaipu, ponte rio x Niterói e vários corrupção em bancos públicos e outras coisas mais.

    ResponderExcluir